furlanetto-odontologia-especializada-blog38-1200x630.png

A dor na articulação temporo-mandibular (ATM) é descrita sempre como uma dor latejante e desconfortável. Ela pode ser súbita ou começar suavemente e se tornar cada vez mais intensa. Entretanto, os sintomas exatos devem variar, dependendo da causa.

A seguir vamos descrever algumas das causas mais comuns para esse desconforto:

Bruxismo
O bruxismo (ranger os dentes) pode causar danos graves aos dentes e é uma das causas principais da dor na ATM. Trata-se do processo de apertar ou ranger os dentesquando você não está mastigando. Algumas pessoas rangem os dentes quando estão estressadas, mas muitas outras cerram os dentes durante o sono e não têm consciência disso. Se não tratado, o problema pode levar a várias outras complicações bucais, além do desgaste dos dentes . A prática de exercícios ou a confecção de uma plaquinha de mordida pelo seu dentista pode ajudá-lo a aliviar essa tensào sobre os dentes.

Osteomielite
A osteomielite é uma infecção que afeta principalmente ossos. Quando uma pessoa sofre osteomielite na mandíbula, a articulação temporomandibular (ATM) é impactada causando dor na mandíbula, febre e inchaço facial. Felizmente esse quadro geralmente é passível de tratamento, com séries de antibióticos ou procedimento cirúrgico para remover as áreas de ossos afetadas pela infecção.

Disfunções temporo-mandibulares
As dinfunções temporo-mandibulares (DTM), , afeta a articulação temporomandibular. Além da dor, esse transtorno também faz com que a mandíbula emita um som (estalo)quando a pessoa abre a boca ou mastiga. Nos casos mais graves, a DTM pode até causar a travamento permanente da mandíbula na posição aberta ou fechada.

Condições dentárias
Outras causas de dor na articulação incluem doença periodontal , cárie ou abscessos. Embora muitos desses quadros não afetem diretamente a estrutura, a dor pode se irradiar para o local dessa estrutura.

Abscessos dentários
O abscesso dentário é o resultado da infecção da polpa ou do nervo do dente. Geralmente ele ocorre quando uma cárie dentária ficou sem tratamento por um longo período. Quando as bactérias da infecção começam a se disseminar pelo canal do dente, elas também podem atingir os tecidos ósseos abaixo , causando dor intensa, que podem se irradiar . Exames dentários regulares e tratamento imediato de quaisquer cárie é a melhor maneira de se evitar esse problema.

Somente um profissional qualificado pode ajudar a determinar a causa raiz da dor na mandíbula.

Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

Entre em contato para que possamos te ajudar!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog37-1200x630.png

O dente do siso é o terceiro e último dente de cada lado dos maxilares superior e inferior. Eles também são os últimos dentes a nascerem; geralmente aparecendo entre o final da adolescência e o início da vida adulta.

Ter o dente do siso (terceiro molar) extraído se tornou um rito de passagem no mundo de hoje. Se você ou seu adolescente estão se preparando para extrair o terceiro molar, a recuperação é algo que deve ser planejada.

É importante que se lembre de que a extração do dente do siso é uma cirurgia, muitas vezes exigindo submeter o paciente a anestesia local e até geral. Inchaço na face e pescoço é comum, também hematomas. Bolsas de gelo e analgésicos prescritos pelo dentista ou cirurgião bucomaxilofacial ajudarão, mas se você tiver quaisquer dúvidas ou está preocupado quanto à experiência, contate seu cirurgião.

Enquanto se recupera da cirurgia é importante manter uma dieta leve, líquida, até que comece a sarar. Comidas frias são indicadas, ou à temperatura ambiente, como purê de batatas; comidas quentes não são recomendadas, porque podem remover o coágulo da cavidade e causar infecções. Agora é hora de curtir aqueles milkshakes, pudins e gelatinas. Shakes de proteína também ajudam a ter a nutrição diária exigida com mínimo esforço. Mas se está bebendo shakes e líquidos, assegure-se de beber direto do copo, porque canudos não podem ser usados no pós-operatório até que permitido pelo cirurgião. Fumar também é proibido.

A medida que você se cura da extração do dente do siso, se recuperar é a prioridade número 1. Siga as instruções do cirurgião, compareça às consultas de acompanhamento e confie na instrução do dentista sobre enxaguar da área operada após cada refeição para evitar infecção, caso seja indicado.

Sinais e Sintomas
Os dentes do siso que nascerem apenas parcialmente ou nascerem “tortos” também pode levar à uma inflamação ao redor do dente. Uma vez que os dentes extraídos antes dos 20 anos têm raízes menos desenvolvidas, tornando assim uma cirurgia de extração muito mais simples, o seu dentista provavelmente vai examinar os dentes dos siso das pessoas entre entre 16 e 19 anos de idade.

O que esperar da remoção de Dentes do Siso
Se os dentes do siso forem impactados e incorporados ao osso, o cirurgião dentista fará uma incisão na gengiva e removerá o dente ou dentes nas seções, com o objetivo de diminuir a quantidade de ossos sendo removidos. Após a cirurgia, inchaço e sensibilidade no rosto e pescoço são comuns, assim como hematomas. Bolsas de gelo e medicamentos para a dor prescritos pelo dentista ou cirurgião dentista podem ajudar a aliviar a dor.

Você tem praticado uma boa higiene bucal após a cirurgia?
Se você extraiu seu dente do siso recentemente, é importante manter a sua boca limpa, mesmo depois que ela cicatrizar.

Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

Entre em contato para que possamos te ajudar!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog36-1200x630.png

Mais do que nunca as pessoas estão buscando opções de clareamento dentário para ter um sorriso mais branco e mais brilhante e melhorar a aparência geral. Você em conjunto com o seu dentista deve avaliar a aparência atual de seus dentes e, em seguida, escolher a opção certa para você.

Há dois tipos de manchas que podem ocorrer nos dentes. O primeiro é a mancha intrínseca, isto é, aquela que se desenvolve no interior do dente. As manchas intrínsecas podem decorrer do uso de antibióticos durante a formação do dente, seja in utero ou durante a infância, e à exposição ao flúor excessivo quando criança. As manchas extrínsecas são causadas por bebidas, como o chá e o café, pelo avanço da idade, pelo desenvolvimento da placa bacteriana e do tártaro e pelo uso do tabaco.

O uso do tabaco inclui os cigarros e o fumo de mascar. Os cigarros e o fumo de mascar contêm muitas substâncias cancerígenas que podem levar a doenças graves (câncer de boca e faringe, câncer de pulmão, alterações de tecido das bochechas e da gengiva) na boca. A consequência do uso do tabaco são as manchas nos dentes e o acúmulo de placa bacteriana e do tártaro.

Há muitos aspectos a considerar quando se deseja clarear os dentes. Você pretende fazer o clareamento em casa? Ou pretende fazê-lo em consultório com a ajuda de um profissional? Antes de decidir, é uma boa idéia consultar um dentista, pois ele pode determinar o tipo de manchas em seus dentes e ajudar a escolher a melhor opção de tratamento para você.

As opções são as seguintes:

1. Clareamento em casa — Há várias opções para este tipo de clareamento. Você pode escolher entre creme dental que confere efeito branqueador pela remoção de manchas extrínsecas, fita, gel ou outros produtos de clareamento. Se estiver pensando em usar uma moldeira para o clareamento, o dentista pode tirar o molde de seus dentes e, em seguida, ajudar você a escolher um kit de clareamento. O custo do clareamento em casa é inferior ao do clareamento em consultório.

2. Clareamento em consultório — Esta forma de clareamento pode exigir de uma a três visitas ao dentista, dependendo do procedimento escolhido. É mais caro do que o clareamento com produtos comerciais comprados no varejo.

A melhor opção segundo os especialistas é conciliar o clareamento de consultório com o caseiro, por ter melhores resultados a longo prazo.

Seja qual for sua escolha, pense sobre as opções e sua postura em relação ao processo de clareamento. Se sua decisão for para valer, você vai fazer de tudo para eliminar os obstáculos menores envolvidos no processo de decisão.

Dicas para prevenir a descoloração do dente após o CLAREAMENTO DENTAL

Depois de completar um tratamento de clareamento dental, existem algumas etapas a serem seguidas que podem manter o seu sorriso mais branco.

Evite alimentos e bebidas causadores de manchas – Café, chá, vinho, bebidas esportivas, doces duros, frutos silvestres e molho de tomate são todos os alimentos que podem causar descoloração dos dentes.

Utilize um canudo – Ao consumir bebidas utilize um canudo para manter corantes causadoras de manchas longe dos dentes.

Pare de fumar – Fumar tabaco pode fazer com que os dentes manchem. A eliminação do tabaco pode manter os dentes mais brancos.

Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

Venha conhecer mais!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog35-1200x630.png

O tratamento por implantes desenrola-se geralmente em 5 etapas:

• A manutenção do diagnóstico e de planeamento do tratamento
• A intervenção cirúrgica
• A fase de cicatrização
• A fase prostética
• A fase de acompanhamento e cuidados profissionais.

1. A MANUTENÇÃO, O DIAGNÓSTICO E O PLANEAMENTO
Qualquer tratamento dentário começa por um exame aprofundado da boca do paciente para determinar a indicação e a praticabilidade da colocação de implantes. Nesta etapa, é indispensável uma avaliação radiológica para avaliar o volume ósseo disponível. Por vezes torna-se necessário um scanner. Estes elementos são necessários para determinar o plano de tratamento e assim evitar eventuais complicações.

No final do exame, o paciente é informado da opção terapêutica, da duração e do custo do tratamento implantar, assim como dos riscos potenciais incorridos.

2. A INTERVENÇÃO CIRÚRGICA
A colocação dos implantes dentários é feita sob anestesia local e é indolor. A duração da intervenção varia consoante a complexidade da intervenção (número e localização dos implantes, volume de osso disponível…).

3. A FASE DE CICATRIZAÇÃO
Uma vez colocados os implantes, começa a fase de cicatrização. O osso irá reconstituir-se à volta do implante de forma indolor. Esta fase, denominada “osteointegração”, é necessária para suportar a colocação de novos dentes e assegurar uma estabilidade perfeita. Durante este período, pode eventualmente ser colocada uma prótese provisória por razões estéticas.

4. A FASE PROSTÉTICA
No final da fase de cicatrização, o profissional e o protésico dentário fabricam uma prótese (dente artificial) a partir de moldes. Esta prótese é em seguida fixada sobre o implante por intermédio de um pino.

5. FASE DE ACOMPANHAMENTO E CUIDADOS PROFISSIONAIS
Controlos regulares assegurados pelo dentista, assim como uma boa higiene bucodentária, são essenciais para evitar qualquer complicação eventual e garantir a perenidade do implante. Uma manutenção insuficiente pode conduzir a gengivites (inflamação da gengiva) ou a peri-implantites (inflamação dos tecidos à volta do implante).

De notar que diversos fatores próprios de cada paciente podem condicionar o desenrolar do tratamento implantar (estado de saúde, massa óssea disponível, fatores de risco, etc.). Assim, a duração de um tratamento pode variar de três a nove meses (conforme se trate de um tratamento simples ou um tratamento mais complexo).

Notas: Certos casos e técnicas cirúrgicas podem encurtar o tratamento. O seu cirurgião-dentista irá aconselhá-lo em função das suas necessidades.

Para maiores esclarecimentos e um atendimento individualizado entre em contato:

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog34-1200x630.png

A articulação temporomandibular (ATM) é a estrutura que conecta a mandíbula aos ossos temporais do crânio. A desordem da articulação temporomandibular, mais conhecida como DTM, ocorre quando existem problemas com os músculos e com a mandíbula no rosto.

Sinais e Sintomas
Existem diversos sinais e sintomas de DTM. Geralmente é difícil saber com certeza se você possui DTM, devido a um ou todos esses sintomas também estarem presentes em outros problemas. Seu dentista pode ajudar a realizar um diagnóstico adequado. Alguns dos sintomas mais comuns de DTM incluem:

• Dor no rosto, mandíbula ou área das orelhas

• Dores de cabeça (muitas vezes como enxaquecas), dores de ouvido e dor e pressão atrás dos olhos

• Som de clique ou deslocamento ao abrir ou fechar a boca

• A mandíbula “fica presa”, travada ou deslocada

• Sensibilidade nos músculos da mandíbula

• Inchaço no rosto

Doenças relacionadas
Bruxismo

Formas de aliviar os SINTOMAS DE ATM
Enquanto não existe uma cura única para ATM, existem diferentes tratamentos que podem reduzir dramaticamente os sintomas. Seu dentista poderá recomendar um ou mais dos tratamento a seguir:

• Medicamento – Tentando eliminar espasmos musculares e a dor por meio da aplicação do calor úmido ou tomando medicação, como relaxantes musculares, aspirina, outros analgésicos sem prescrição ou medicamentos anti-inflamatórios.

• Utilizar um protetor bucal noturno – Reduz os efeitos nocivos de travamento ou rangido dos dentes por meio da utilização de um protetor bucal ou tala.

• Relaxar – Aprender técnicas de relaxamento para auxiliar no controle da tensão muscular na mandíbula. Seu dentista pode sugerir que você procure treinamento ou aconselhamento para eliminar o estresse.

O que é ATM?
É a articulação temporomandibular, uma articulação que liga o maxilar ao crânio. A DTM é a disfunção da articulação temporo mandibular que pode, por exemplo, não estar funcionando adequadamente. Essa articulação é uma das mais complexas do corpo humano, responsável por mover a mandíbula para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que impeça a função ou o adequado funcionamento deste complexo sistema de músculos, de ligamentos, de discos e de ossos é chamado de DTM. Geralmente, a DTM dá a sensação ao indivíduo acometido de que sua mandíbula está saltando para fora, fazendo um estalo e até travando por um instante. A causa exata desta disfunção, em geral, é impossível de ser identificada.

Quais os sintomas da DTM?
Disfunções de ATM apresentam muitos sinais e sintomas. É difícil saber com certeza se você tem DTM, porque um destes sintomas ou todos eles podem também estar presentes em outros problemas. Seu dentista poderá ajudá-lo a fazer um diagnóstico preciso, através de uma história médica e dentária completa, um exame clínico e de radiografias adequadas.

Alguns dos sintomas mais comuns de DTM são:

• Dores de cabeça (freqüentemente parecidas com enxaquecas), dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos;

• Um “clique” ou sensação de desencaixe ao abrir ou fechar a boca;

• Dor ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar;

• Mandíbulas que “ficam presas”, travam ou saem do lugar;

• Flacidez dos músculos da mandíbula;

• Uma brusca mudança no modo em que os dentes superiores e inferiores se encaixam.

Como tratar a DTM?
Embora não exista uma cura para a DTM, existem diversos tratamentos que você pode seguir para diminuir consideravelmente os sintomas. Seu dentista pode recomendar um ou mais dos seguintes tratamentos:

• Tentar eliminar a dor e o espasmo muscular através da aplicação de calor úmido ou através de medicamentos como relaxante muscular, aspirina ou outros analgésicos comuns, ou ainda antiinflamatórios;

• Reduzir os efeitos prejudiciais de travamento ou rangido, por meio de um aparelho, algumas vezes chamado de placa de mordida ou “splint”. Este aparelho, feito sob medida para sua boca, se encaixa nos dentes superiores e ao deslizar sobre os dentes inferiores impede estes dentes inferiores de ranger contra os dentes superiores;

• Aprender técnicas de relaxamento para ajudar a controlar a tensão muscular na mandíbula. Seu dentista pode sugerir que você procure condicionamento e aconselhamento para ajudar a evitar o estresse;

• Quando partes da mandíbula são afetadas e os tratamentos não surtiram efeito, uma cirurgia na articulação poderá ser recomendada.

Entre em contato para que possamos te ajudar!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog33-1200x630.png

Os dentes do siso ou do juízo, como são popularmente conhecidos, são sinônimos de dor de cabeça para muita gente quando começam a dar as caras. O medo e a insegurança podem tomar conta daqueles que precisam fazer a extração do siso, principalmente por conta do pós-operatório. Os primeiros cinco ou sete dias seguintes à extração do siso são os mais decisivos. A cirurgia estimula uma sequência de reações inflamatórias nos tecidos ao redor da área da extração do siso, inclusive com possíveis feridas que ficam expostas ao ambiente de bactérias, vírus e fungos, comuns a boca. Por isso, seguir os cuidados descritos pelo dentista é fundamental para reduzir a margem de desconforto e risco após a extração.

Fique de olho na dieta
Nos sete dias que sucedem a cirurgia, a dieta deve ser diferenciada. Logo após a extração dos sisos, deve ser feita uma dieta líquida, evitando comer alimentos quentes nos primeiros três dias. Nos quatro dias seguintes é recomendada uma dieta pastosa, evitando mastigar naquela região alimentos granulosos, duros ou consistentes. Isso ajuda a diminuir o inchaço e o sangramento, reduzindo o risco de infecções. É importante que tanto a dieta líquida quanto a pastosa sejam nutritivas, mantendo o sistema imunológico fortalecido. Algumas sugestões para os primeiros dias são sucos e sopas – que devem ser consumidos in natura, morno ou resfriados. Consumir alimentos quentes nas primeiras horas após a cirurgia e nos cinco ou sete dias seguintes pode prejudicar a cicatrização ou causar dor e desconforto.

Tome todas as medicações
O seu cirurgião-dentista irá prescrever uma série de medicamentos para impedir que o local da extração infeccione ou inflame. Podem ser usados analgésicos leves, moderados ou fortes, sedativos, anti-inflamatórios esteroides ou não esteroides e antibióticos. O tempo de medicação deve ser estabelecido pelo profissional, mas no geral são três dias para medicação analgésica e de cinco a 15 dias para os antimicrobianos. O dentista também pode receitar enxaguantes bucais específicos, bem como géis e outros produtos tópicos para a higiene do local. O recomendado é para que o paciente avise o seu dentista caso sinta dores que não possa suportar para que a medicação prescrita possa ser revista.

Cuidados ao escovar os dentes
Durante as primeiras 24 horas, é preciso escovar os dentes de forma mais suave que o habitual e evitar escovar os dentes vizinhos dos sisos extraídos para proteger a região da cirurgia. Do segundo ao quinto ou sétimo dia, retome a escovação suave de todos os seus dentes. Não use enxaguantes bucais, a não ser que tenham sido prescritos pelo dentista. Atualmente existem escovas de delicadíssima plumagem (cerdas pós-cirúrgicas ultra macias) que atendem a possibilidade de escovação da área operada e arredores sem problemas. Essas escovas também podem auxiliar na aplicação de géis e outros produtos destinados aos cuidados bucais das regiões de extração do siso, desde que tenham sido recomendadas pelo cirurgião-dentista.

Faça compressas para o inchaço
Sofrer com edemas após a cirurgia é muito comum, e sua gravidade depende da intensidade da cirurgia e do tipo de anatomia do paciente, como sua musculatura, a amplitude bucal e a articulação da mandíbula chamada de ATM. Além dos aspectos citados, o inchaço ou edema também pode ser uma resposta do organismo para contribuir com o reparo e a cicatrização cirúrgica. Para diminuir o inchaço, aplique nas primeiras 24 horas uma compressa gelada a cada 20 minutos, durante 10 minutos aproximadamente. Repita conforme necessário. Após esse primeiro dia, trate o inchaço com compressas quentes, aplicando uma toalha quente e úmida na área de 20 em 20 minutos, repetindo conforme necessário.

Lidando com o trismo muscular
Em alguns casos, pode ser que o paciente tenha dificuldades para abrir ou fechar a boca após a cirurgia, em virtude da tensão gerada pela extração feita – é o efeito do chamado trismo muscular. O trismo é definido pelo tensionamento de músculos da região da articulação da mandíbula. Quando essa complicação acontece, em geral é a abertura da boca que fica bastante limitada, há dificuldades para fazer a higiene bucal, comer ou colocar a língua para fora. Essa situação é transitória e se recupera juntamente com a cicatrização das áreas de extrações dos sisos. Há casos em que o trismo permanece mesmo após os sete dias de recuperação da cirurgia e retirada dos pontos, mas o paciente não deve forçar a abertura da boca. As medicações e o repouso são os melhores agentes de tratamento para o trismo. O dentista poderá receitar remédios anti-inflamatórios, relaxantes musculares e compressas quentes com o objetivo de relaxar a musculatura da face e recuperar movimento de abertura da boca. Se persistirem os problemas deve-se avaliar as causas e a abordagem de tratamento.

Boca anestesiada
A anestesia de extração do siso dura em torno de quatro a cinco horas. No entanto, pode ser que o paciente sofra com a parestesia transitória, que é um formigamento na região, sem a recuperação total da sensibilidade. Isso acontece no geral porque algum nervo responsável pela sensibilidade da boca foi lesado durante a cirurgia e anestesia. Neste caso, a sensação de anestesia irá perdurar por alguns bons dias, até cessar por completo. O especialista recomenda paciência e a busca por apoio em tratamentos odontológicos que visam acelerar essa recuperação, como o uso de derivados do complexo B e outras medicações destinadas a essa finalidade receitadas pelo seu cirurgião-dentista. Essa ocorrência, embora possível, é muito rara, mas possui tratamento adequado.

Não fume ou beba álcool
Pelo fato de você ter uma ferida na boca que precisa ser cicatrizada, e portanto sujeita a inflamações e infecções, a recomendação é suspender o uso de cigarro pelo menos durante a primeira semana, até os pontos serem retirados. Isso porque as substâncias tóxicas do cigarro penetram na mucosa da boca e podem interferir na cicatrização dos pontos, bem como causar uma infecção grave na área. No caso do álcool, a recomendação é suspender a ingestão durante o tempo em que se estiver usando antibióticos ou outras medicações, pois a bebida pode interagir com o remédio e causar efeitos colaterais.

Retirando os pontos
O ideal é que o paciente retorne ao consultório sete dias após a extração para remover os pontos. Deixar pontos na boca além do previsto pelo dentista pode resultar na retenção de alimentos, bactérias e impurezas que dificultam a cicatrização, arriscando a saúde dos dentes vizinhos e de todo o restante da boca, podendo chegar ao ponto de causar infecção e feridas na região. lembramos que os pontos podem ficar na boca quando eles são do tipo reabsorvíeis, não sendo necessária a visita ao dentista para remoção.

Entre em contato para que possamos te ajudar!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog32-1200x630.png

É a técnica que utiliza agentes clareadores para recuperar a cor original dos dentes, perdida em algum momento durante a vida em decorrência de diferentes fatores. Promove também o clareamento dos dentes originalmente mais escurecidos.

Por que realizar esse tratamento?
A busca pela estética é um fator de muita influência sobre o comportamento das pessoas nos dias de hoje. Técnicas restauradoras e protéticas mais modernas visam, além da reabilitação da função mastigatória, a recuperação do fator estético. Nessa perspectiva, o clareamento dental se torna um importante instrumento a fim de proporcionar a satisfação do paciente em seu tratamento.
Existem basicamente dois tipos de clareamento dental:

Clareamento Caseiro: a maior parte do tratamento é realizada pelo próprio paciente, o qual utiliza o agente químico dentro de uma moldeira adaptável aos dentes. Estes materiais são fornecidos pelo cirurgião-dentista, que irá supervisionar o tratamento através de visitas periódicas do paciente ao consultório.

Clareamento realizado no consultório: o dentista irá aplicar sobre os dentes um agente químico oxidante bem mais potente. Durante a aplicação, a gengiva, lábios e bochechas são protegidos de forma que o clareador não provoque queimaduras. Sobre o clareador é aplicada uma fonte de energia ativadora que pode ser luz halógena ou determinados tipos de laser que intensificarão o clareamento. Dessa forma, o clareamento é realizado em apenas uma sessão.

O que são Facetas de Porcelana ou Lentes de Contato?
Um dos procedimentos mais avançados na estética bucal atual é o uso das facetas de porcelana, consideradas por muitos profissionais como o avanço científico do século na área de odontologia e estética. As facetas de porcelana ou lentes de contato são lâminas confeccionadas em Porcelana ou Resina Composta com cerca de 7 milímetros de espessura (no caso das facetas), que são cimentadas nos dentes incisivos centrais. O objetivo, além de elevar a autoestima e bem-estar dos pacientes, é melhorar a aparência do sorriso.

Por que realizar o tratamento?
As facetas de porcelana influenciam diretamente na harmonização do sorriso de uma pessoa já que podem clarear, corrigir a dentição torta e manchada, diminuir a distância entre os dentes, aumentar o tamanho, corrigir curvatura, melhorar o formato, solucionar a aparência do esmalte dental desgastado, entre tantas outras indicações.
A decisão do tratamento com facetas de porcelana depende de alguns fatores:

• Quanto à necessidade estética;
• Melhora da função mastigatória;
• Expectativa do paciente;
• Integridade da estrutura dentária remanescente;
• Durabilidade.

Como será feito o tratamento?
O procedimento estético bucal começa com fotografias dos dentes, do rosto, do sorriso, radiografias, moldagem para confecção de modelos de estudo, onde as modificações são enceradas permitindo a confecção do mockup (prévia de como ficarão os dentes), dos provisórios e das facetas propriamente ditas. O tempo entre o preparo e a colocação das facetas é de uma semana ou duas sessões: uma para preparar os dentes, moldar e fazer os provisórios; outra sessão para a cimentação.

Venha conhecer mais!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog31-1200x630.png

Se você já perdeu um ou mais dentes e não que usar uma ponte ou dentadura completa ou parcial, poderia perguntar para seu odontologista se você seria um bom candidato para implantes dentários.

Os implantes dentários oferecem uma substituição de dentes mais natural do que as dentaduras, porque são dentes artificiais sujeitos diretamente à mandíbula. Para se beneficiar dos implantes dentários, deve ter boa saúde (além de faltar um dente) e ter uma mandíbula completamente desenvolvida e saudável – gengivas saudáveis e uma mandíbula saudável se requerem para sustentar os implantes.

Se você estiver saudável e seu odontologista determina que é um bom candidato para implantes, ele programará o procedimento no consultório sob anestesia local ou em um hospital sob anestesia geral, dependendo dos requerimentos particulares da saúde dental do paciente e a quantidade de cirurgia que requerer.

Mas os implantes não são uma boa opção para todos, as mulheres grávidas e as pessoas com doenças crónicas ou imunossupressoras (devido ao maior risco de infecção durante a cirurgia), crianças (porque suas mandíbulas ainda estão se desenvolvendo) e as pessoas que rangem ou apertam os dentes (este hábito pode exercer muita pressão nos implantes) não são bons candidatos para implantes dentários.

Lembre-se que a cirurgia para colocar os implantes dentários demora várias horas e é possível que requeira mais do que um procedimento. Por esta razão, todos aqueles que tenham um maior risco de infecção não deveriam escolher implantes dentários.

Se você estiver saudável e se submeter à cirurgia de implantes dentários, certifique-se de seguir as instruções do seu odontologista para a higiene bucal –incluindo escovar duas vezes por dia e usar fio dental diariamente – depois do procedimento para manter seu novo dente limpo e saudável.

Para maiores esclarecimentos e um atendimento individualizado entre em contato:

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog30-1200x630.png

Disfunções temporomandibulares (DTM) são um resultado de problemas no maxilar, articulações maxilares e músculos da mastigação. Outro nome comum para esse problema são disfunções da ATM.

A articulação temporomandibular é aquela que liga o maxilar inferior (mandíbula) ao osso temporal do crânio, localizado à frente das orelhas em cada lado da cabeça. Essa articulação é flexível, permitindo que você mastigue, fale e morda alimentos. Os músculos dessa articulação e aqueles em torno dela são responsáveis por controlar a posição e movimentos da mandíbula.

As disfunções temporomandibulares são um grupo de condições que podem causar dor, dificuldade de abrir ou fechar a boca, zumbidos e podem ser decorrentes de problemas musculares, articulares ou como consequência de doenças sistêmicas.

Sinônimos
DTM, Disfunção da articulação temporomandibular, ATM

A causa de distúrbios da articulação temporomandibular é desconhecida em muitos casos. Trauma na mandíbula ou conjunta pode desempenhar um papel no desenvolvimento de distúrbios da ATM. Além disso, existem outras condições de saúde que podem contribuir para o desenvolvimento destas patologias. Estes incluem:

• Artrite na articulação temporomandibular
• Danos na articulação causados por impacto ou idade
• Ranger os dentes
• Problemas estruturais presentes no nascimento.
• Estresse e tensão muscular.

Causas
A causa de distúrbios da articulação temporomandibular é desconhecida em muitos casos. Trauma na mandíbula ou conjunta pode desempenhar um papel no desenvolvimento de distúrbios da ATM. Além disso, existem outras condições de saúde que podem contribuir para o desenvolvimento destas patologias. Estes incluem:

Artrite na articulação temporomandibular
Danos na articulação causados por impacto ou idade
Ranger os dentes
Problemas estruturais presentes no nascimento
Estresse e tensão muscular.

Fatores de risco
A DTM ocorre mais comumente em mulheres entre 20 e 40 anos, mas pode ocorrer com qualquer pessoa.

Outros fatores estão associados com o desenvolvimento de distúrbios da ATM. No entanto, não há provas de que esse fatores causem os transtornos. Eles incluem:

• Uso prolongado de aparelhos ortodônticos
• Má postura, que afeta os músculos do pescoço e rosto
• Estresse
• Má alimentação
• Falta de sono.

Sintomas de Disfunções temporomandibulares
Pessoas com disfunções temporomandibulares podem sentir uma forte dor e desconforto, que pode ser temporária ou durar muitos anos. A dor e sensibilidade ocorrem mais comumente nesses lugares:

• Rosto
• Área correspondente à articulação temporomandibular
• Pescoço
• Ombros
• Ao redor da orelha durante a mastigação, ao falar ou abrir a boca.

Os sintomas comuns de disfunções temporomandibulares são:

• Capacidade limitada para abrir a boca
• Maxilar “preso” na posição de boca fechada ou aberta
• Sons saindo da articulação ao abrir ou fechar a boca ou mastigar. Pode ou não ser acompanhados de dor
• Sensação de cansaço no rosto
• Dificuldade para mastigar ou ter uma mordida repentina desconfortável – como se os dentes superiores e inferiores não estivessem encaixando corretamente
• Inchaço do lado da face
• Zumbidos.

Esses sintomas podem ocorrer em um ou ambos os lados da face. Outros sintomas comuns da DTM incluem dores de dente, dores de cabeça, tontura, dores de ouvido, problemas de audição, dor no ombro superior e zumbido nos ouvidos.

Entre em contato para que possamos te ajudar!

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp

furlanetto-odontologia-especializada-blog29-1200x630.png

A extração do siso é uma cirurgia para a retirada dos dentes terceiros molares, conhecidos também como dentes do siso ou dentes do juízo. A cirurgia de extração do siso pode ser feita quando os dentes já nasceram ou mesmo para dentes que não vão nascer – é o chamado dente do siso incluso.

Qual médico realiza a cirurgia
Cirurgião dentista ou cirurgião buco-maxilo-facial

Indicações
A extração do siso deve ser feita apenas quando os dentes do siso não nasceram adequadamente na boca. Caso o dente esteja presente na boca e não comprometa a arcada dentária, ele funciona como os demais dentes do fundo, na fase final da mastigação, e não precisa ser retirado. A indicação de extração do siso se relaciona a:

• Incapacidade de higiene adequada dos dentes do siso por falta de acesso com as escovas

• Pressão ou empurramento nos dentes vizinhos que gere riscos de traumas e/ou perdas do alinhamento dos dentes

• Alterações na normalidade da mordida e da fala motivadas pela presença dos sisos

• Dentes inclusos: que não conseguem “nascer” pela falta de espaço ou má posição dentro dos maxilares

• Sisos tomados por infecção recorrente, como cárie ou doença periodontal de tratamento complicado

• Sisos em contato com a raiz dos segundos molares, podendo gerar dor e necessidade de tratamento de canal no futuro

• Caso os sisos estejam gerando dor em outras partes da face, como mandíbula e ouvidos, já tendo sido investigadas outras possíveis causas para as dores.

Quem não pode fazer
Não existem contraindicações muito severas com relação à extração dos sisos. No entanto, pacientes que estejam com a saúde comprometida ou inflamações do local, por exemplo, devem considerar adiar o procedimento. Dependendo da indicação cirúrgica, o paciente também pode optar por outros tratamentos que não a extração dos sisos para resolver seu problema. Tudo dependerá do quadro do paciente e da opinião do especialista.

Pré-requisitos
Também não há grandes pré-requisitos para incluir ou excluir um indivíduo da indicação cirúrgica. Mas o momento ideal para extração dos sisos é entre os 16 e 18 anos, quando se formam as primeiras raízes dentárias e o dente ainda não nasceu. Isso porque nessa faixa etária a formação das raízes do dente do siso ainda não está completa, tornando a extração do siso mais simples e com melhor prognóstico. Entretanto, a cirurgia pode ser feita sem riscos em qualquer idade.

Anestesia
A anestesia para extração dos sisos é local, ministrada por injeção. Além desse anestésico, você e seu cirurgião-dentista ou cirurgião buco-maxilo-facial podem decidir que um sedativo é desejado para controlar qualquer ansiedade. Caso seja usado um sedativo, é necessário levar um acompanhante no dia da cirurgia, para orientar o paciente enquanto o sedativo ainda não perdeu o efeito.

Como é realizada
É aplicada uma anestesia local próxima ao dente que será retirado. Após a área estar adormecida, é feita uma incisão na pele da gengiva, que é deslocada, para que o cirurgião possa ver o dente a ser retirado. Caso os dentes ainda não tenham nascido, é feita a remoção do osso que recobre o dente e depois a remoção do dente. Por fim, o cirurgião retira os restos de osso e pedaços de dente que possam ainda estar dentro da cavidade, e completa com uma sutura. Em alguns casos, o dente pode ser quebrado e retirado em partes, em outros será retirado inteiramente. Tudo depende da posição do dente e condições do paciente.

Tempo do procedimento
A duração da extração siso varia conforme a dificuldade da cirurgia e quantidade de dentes que será retirada. Em média, a cirurgia de extração do siso leva menos de 30 minutos para ser feita (por dente), podendo em alguns casos mais fáceis demorar 5 minutos até, mas pode ser que leve mais tempo conforme o quadro do paciente.

Tempo de internação
Não há necessidade de internação para a extração do siso. Então, o paciente ficará no consultório ou hospital apenas o tempo em que duraram os trâmites da cirurgia.

Cuidados antes do procedimento
No dia de sua extração do siso, o ideal é fazer uma refeição leve e tomar todos os medicamentos que eventualmente forem prescritos, como antibióticos. Evite usar maquiagem ou qualquer acessório volumoso no cabelo, para não causar incômodo ou dificultar o posicionamento de sua cabeça durante a cirurgia de extração do siso. É importante informar ao dentista todo seu histórico de saúde, para que os cuidados sejam tomados previamente caso necessário.

Como é a recuperação do paciente
Depois de remover seus dentes do siso, a velocidade de sua recuperação depende do grau de dificuldade da extração. Em geral, o paciente pode sentir esses sintomas:

• A anestesia dura em torno de quatro a cinco horas, salvo em casos de eventual parestesia transitória (sensações como formigamento, frio e calor na área) decorrente dos procedimentos associados à extração do siso. Neste caso, a sensação de anestesia irá perdurar por alguns dias, até cessar por completo

• Pode ser que ocorram sangramentos em uma ou mais aberturas nas primeiras 24 horas. Para controlá-los, coloque um pedaço de gaze limpa sobre a área do dente retirado e tente mordê-la firmemente até sentir que o sangramento foi estancado. Caso seja necessário, troque a gaze por outra limpa. Se persistir um sangramento intenso, comunique o seu dentista

• Edemas faciais na área onde o dente foi extraído são comuns. Para diminuir o inchaço, aplique nas primeiras 2 a 3 horas uma compressa gelada a cada 20 minutos, durante 10 minutos aproximadamente. Repita conforme necessário. Após esse primeiro dia, trate o inchaço com compressas quentes, aplicando uma toalha quente e úmida na área de 20 em 20 minutos, repetindo conforme necessário

• Em alguns casos, pode ser que o paciente tenha dificuldades para abrir ou fechar a boca, em virtude da tensão gerada pela extração do siso. Essa situação é transitória e se recupera juntamente com a cicatrização das áreas de extrações dos sisos.

Complicações possíveis
Entre as complicações mais importantes da extração dos sisos, além dos problemas que podem ser comuns a todas as cirurgias, como infecções. Pode ser que ocorram esses problemas:

Alveolite: ela ocorre quando o coágulo de sangue formado para iniciar o processo de cicatrização se desfaz ou se desloca, deixando a cavidade exposta. A alveolite normalmente ocorre em três ou quatro dias após a extração e é acompanhada de dores muito fortes e odores estranhos na boca. Caso isso aconteça, procure seu dentista.

Parestesia: é causada quando há um dano nos nervos próximos ao dente que foi extraído, gerando uma dormência na língua, lábio ou queixo. Essa ocorrência, embora possível, é muito rara, e no geral dura alguns dias ou semanas. Caso o problema persista, procure seu dentista.

Trismo: o trismo acontece quando o paciente mantém o maxilar muito tenso durante a cirurgia, ou então quando o procedimento de extração do siso foi muito difícil. O paciente com trismo não consegue abrir a boca completamente, impossibilitando a alimentação e mastigação completa, bem como deixando a fala comprometida. Esses sintomas podem ser evitados com medicação prevista no pré-operatório, bem como a competência do médico e qualidade técnica dos procedimentos de extração.

Cuidados após a cirurgia
Alguns cuidados devem ser adotados nos primeiros dias após a cirurgia:

• Deve ser feita uma dieta líquida nos primeiros três dias, evitando comer alimentos quentes. Nos quatro dias seguintes, é recomendada uma dieta pastosa, evitando nos quatros consumir alimentos granulosos, duros ou consistentes. Isso ajuda a diminuir o inchaço e o sangramento, reduzindo o risco de infecções. É importante que tanto a dieta líquida quanto a pastosa sejam nutritivas, mantendo o sistema imunológico fortalecido

• Tome as medicações corretamente. Podem ser usados analgésicos leves, moderados ou fortes, sedativos, anti-inflamatórios esteroides ou não esteroides e antibióticos. O tempo de medicação deve ser estabelecido pelo profissional, mas no geral são três dias para medicação analgésica e de três a 15 dias para os antimicrobianos

• Evite fazer bochechos ou cuspir nas primeiras 24 horas após a extração do siso, bem como fazer movimentos de sucção

• Escove os dentes de forma mais suave que o habitual e evite os dentes vizinhos dos sisos extraídos durante as primeiras 24 horas. No segundo dia, retome a escovação suave dos seus dentes. Não use enxaguantes bucais comerciais, a não ser que tenham sido prescritos pelo médico

• Não fume pelo menos nos primeiros sete dias. O cigarro contém substâncias tóxicas que penetram na mucosa da boca e podem infeccionar a cicatriz

• Não ingira bebidas alcoólicas. Elas podem interagir com a medicação e causar efeitos colaterais

• Sete dias após a extração o paciente deve retornar ao consultório para remover os pontos. Deixar pontos na boca além do previsto pelo dentista pode resultar na retenção de alimentos, bactérias e impurezas que dificultam a cicatrização, arriscando a saúde dos dentes vizinhos e de todo o restante da boca, podendo chegar ao ponto de causar infecção e feridas na região. Os pontos só podem ficar na boca quando eles são do tipo reabsorvíveis, não sendo necessária a visita médica para remoção.

Para maiores esclarecimentos e um atendimento individualizado entre em contato:

Furlanetto Odontologia Especializada
14 | 3621-6108 – 3624-5882
14 | 99154-8046 WhatsApp





Giovane Furlanetto – Odontologia Especializada

Entre em contato conosco agora

Agende um horário para avaliação e planejamento de seu atendimento.


EMERGENCIAS

(14) 9.9896-8025



AGENDAMENTO

(14) 3621-6108
(14) 3624-5882



Acompanhe nossas atividades, receba e leia dicas e notícias!



© 2019 Furlanetto Odontologia. Todos os direitos reservados | Agência BiG DESiGENERPolítica de Privacidade e Cookies